Se os resultados do Pan tivessem acontecido em Londres…

Confira qual seria o saldo dos brasileiros que foram ouro no Pan, caso seus rendimentos tivessem se repetido em Londres. (dados feito até a quinta-feira, 23
de julho)

Vela – Saldo: dois ouros

Ouro com Ricardo Winicki, o Bimba, na categoria RS masculina. Bimba, 7º do mundo, venceu David Mier y Teran, do México (49 do ranking mundial) e o argentino Mariano Reutemann (25 do ranking mundial) – não representativo em termos olímpicos

Ouro com Patrícia Freitas, na categoria RS feminina. Patrícia, 11ª do ranking mundial, venceu Demita Vega, do México (23 do ranking mundial) e Marion Lepert,
dos EUA (44 do ranking mundial)

Tênis de mesa masculino. Saldo: um ouro
Tricampeão pan-americano por equipes com Hugo Calderano, Thiago Monteiro e Gustavo Tsuboi. Na final, venceu Paraguai. Sem representatividade em termos
olímpicos

Patinição Artística. Saldo: um ouro

Ouro Marcel Stümer, tetracampeão do Pan-Americano. Modalidade não faz parte dos Jogos Olímpicos de Verão

Judô. Saldo: cinco ouros

David Moura, 12º do ranking mundial. Venceu equatoriano Freddy Figueroa, 38º do ranking. Sem representatividade em termos olímpicos

Érika Miranda, 4ª do ranking mundial. Superou a canadense Ecaterina Guica, 30º do ranking. Sem representatividade em termos olímpicos

Tiago Camilo, 20º do ranking mundial. Venceu o cubano Asley Gonzalez, 9º do ranking. Existe representatividade pelo fato do cubano estar no top 10

Charles Chibana, 14º do ranking mundial. Venceu canadense Antoine Bouchard, 16º do ranking mundial. Sem representatividade em termos olímpicos.

Luciano Corrêa, 15º do ranking mundial. Superou canadense Marc Deschenes, 50º do ranking. Sem representatividade em termos olímpicos.

Atletismo. Saldo: um ouro

Juliana dos Santos venceu a prova dos 5.000, com tempo de 15min45s97. Ela ficaria em 33º lugar em Londres 2012. Campeã na última edição foi a etíope Meseret
Defar, com 15min04s25. Sem representatividade em termos olímpicos.

Ginástica. Saldo: um ouro

Arthur Zanetti fez 15,725 em Toronto. Este resultado o deixaria em quarto lugar em Londres, atrás dele mesmo, que foi campeão na oportunidade com uma nota
15.900. Atrás, vieram o chinês Chen Yibing, com 15.800 e o italiano Matteo Morandi, com 15.733.

Tiro Esportivo. Saldo: três ouros

Critérios de pontuação mudaram nos últimos anos. Mas, o rendimento de Wu em Toronto o deixaria entre os três melhores em nove das 12 competições do ciclo
olímpico já realizadas até então.

Luta olímpica. Saldo: um ouro

Na categoria até 58kg, Joice Silva, 5ª do ranking mundial, teve um resultado histórico, colocando o Brasil no lugar mais alto do pódio, na sua modalidade, entre mulheres, pela primeira vez. No entanto, se formos analisar as principais adversárias do mundo, boa parte delas da Europa e Leste Europeu, seu resultado teve pouco representantividade em termos olímpicos. Venceu na final a cubana Yakelin Estornell, que não está entre as top 10 da modalidade. Sem representatividade em termos olímpicos.

Pentathlo moderno. Saldo: um ouro

Yane Marques foi ouro em Toronto com 1348 pts. Em Londres, este resultado lhe daria uma prata com 1335 pontos, superando sua marca, que a fez alcançar um
inédito pódio olímpico na última edição, em 2012. Nesta oportunidade, ela fez 5.340 pontos. A mudança no critério, a partir de 2013, fez os resultados de
2012 serem divididos por quatro na comparação com o quadro atual.

Levantamento de peso. Saldo: um ouro

Fernando Reis levou o título inédito, em Toronto, na categoria superior aos 105 kg, depois de levantar 427kg. Em Londres, ele ficou na 12ª posição. Apesar dos resultados exatos não estarem especificados no site dos Jogos de 2012, Fernando teria um longo caminho pela frente para ser medalhista de ouro em Olimpíada, tendo como base o recorde mundial. Em 2000, em Sydney 2000, o iraniano Hossein Rezazadeh levantou 472,5kg e bateu um novo recorde Olímpico e mundial, que dura até hoje na categoria. Sem representatividade em termos olímpicos.

Canoagem. Saldo: três ouros

Em sua estreia em Pan-Americanos, a brasileira Ana Sátila garantiu a primeira medalha de ouro da história do país no esporte, com o tempo de 113s91. Se o tempo fosse feito em Londres, ela ficaria na sétima posição, o que poderia ser considerado um bom resultado para uma atleta que estaria fazendo sua estreia em Jogos Olímpicos.

Já Isaquias Queiroz faria história. O resultado que lhe deu o ouro em Toronto também o colocaria no lugar mais alto do pódio em Londres, na categoria c1-200m, com o tempo de 39s991, superando o campeão olímpico da Ucrânia Yuriy Cheban, que marcou 42s291.
Na categoria C1-1000m, ele fez o tempo de 4min07s866, resultado que lhe deixaria longe da final, que conta com a presença dos oito melhores colocados.

Natação. Saldo: 10 medalhas.

A modalidade retorna como a que deu maior número de medalhas ao Brasil. No entanto, o nível dos próprios adversários no Pan era outro. Os EUA, por exemplo, não foram com o que tinham de melhor. Na Olimpíada, o quadro será bastante diferente.

Etiene Medeiros. O tempo de 59s61, nos 100m costas, que lhe deu o Ouro em Toronto, a deixaria em oitavo lugar, indo para a final.

Léo de Deus – campeão do Pan nos 200m borboleta com o tempo de 1m55s01. Em Londres, ficaria em quinto lugar.

Felipe França – tempo de 59s21 nos 100m peito no Pan o deixaria com o bronze em Londres.

Thiago Simon – tempo de 2m09s82 nos 200m peito no Pan o deixaria fora da final, que conta com oito atletas

Brandonn Almeida – tempo nos 400m medley de 4min14s47 o deixaria em 10º em Londres.

João de Lucca – tempo de 1min46s42 nos 200m livre o deixaria em quinto lugar.

4x200m livre masculino – tempo de 7min11s15 deixaria a equipe em sétimo lugar.

4x100m livre masculino – tempo de 3min13s66 deixaria a equipe em sétimo lugar.

4x100m medley masculino – tempo de 3min32s68 deixaria o Brasil na quinta posição em Londres.

Henrique Rodrigues – 200m medley – tempo de 1min57s06 lhe daria um quinto lugar em Londres.

Ginástica Rítmica. Saldo: Dois ouros.

Por equipe – nota de 15.433 e 15.000 no cinco fitas. Critérios diferentes não permitem comparação.

Caratê. Saldo: dois ouros.
Douglas Brose, atual líder do ranking mundial, confirmou seu favoritismo, na categoria até 60kg ao vencer o venezuelano Jovanni Martinez. No entanto, o adversário batido é apenas o 32º do ranking mundial.

No feminino, Valeria Kumizaki, sétima do ranking, foi vitoriosa na final da categoria até 55 kg, ao derrotar na luta final a canadense Kate Campbel, número 23 do mundo.

Anúncios

Sobre Daniel Ottoni

Desde 2011, repórter de esportes especializados do jornal O Tempo, de Belo Horizonte. Fale comigo no d.ottoni@gmail.com
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s