Raul Togni se despede do time adulto de basquete do Minas Tênis Clube

Raul-Togni-e-time-Orlando-Bento

Raul, agora, fica no aguardo de alguma proposta interessante (crédito: Orlando Bento)

Raul Togni não é mais treinador do Icatu-Minas, equipe que fez boa campanha nesta temporada ao chegar nos playoffs e dar muito trabalho para o São José-Unimed-SP nas oitavas-de-final do Novo Basquete Brasil. A diretoria do Minas acabou achando o resultado da temporada insatisfatório e preferiu dispensar o técnico que dedicou sete anos de sua vida do clube da capital mineira.  “O Raul Togni trabalhou dois anos na equipe de ponta e é um excelente profissional, de caráter, e que se dedicou muito ao clube. Agradecemos muito a ele por todo o trabalho, mas no esporte de ponta essas decisões são naturais quando os resultados esperados não são obtidos”, comentou o diretor de Basquete do Clube, Eduardo de Almeida Pinto, o Dadinho.

Raul projetava continuar no Minas e manter o trabalho, já pensando na próxima temporada. Mas foi pego de surpresa com a decisão. “Acho que nossa campanha ficou dentro do esperado. Ninguém tinha comentado nada ainda comigo e esperava ser mantido para continuar dando minha contribuição. Fiz tudo que podia e saio com a consciência tranquila”, afirma Raul, que agora aguarda por uma oportunidade, no adulto ou na base. “Sou profissional do basquete e professor de Educação Física. O que não posso é ficar sem trabalhar. Se aparecer um projeto bacana, mesmo na base, não tenho porque deixar de abraçar a oportunidade. Vamos estudar as chances que possam aparecer, o mercado de treinadores de basquete no Brasil é bastante restrito”, indica Raul.

Evolução não pesou na decisão

Para Raul, o time chegou onde podia. No seu primeiro ano à frente do Minas, o time não chegou aos playoffs. No segundo ano de trabalho, uma evolução, que acabou não sendo suficiente para convencer a diretoria a permanecer com seu trabalho. “Com o material que tínhamos, fomos bem. Os jogadores foram até o seu limite. A temporada foi irregular e, em termos de resultados, não foi a ideal. Mas algumas questões pesaram, o investimento foi confirmado de forma tardia, quando alguns jogadores já haviam saído”, reconhece.

Contra São José, o Minas foi bem na primeira partida ao vencer o desafio de abertura dos playoffs.  No segundo jogo, um erro de arbitragem faltando 3s para o final acabou pesando. No jogo seguinte, o Minas chegou a abrir 18 pontos e acabou tomando a virada, em uma queda vertiginosa do time. “O São José mostrou que não estava morto, como muitos dentro do clube chegaram a afirmar”, alfineta.

“Agradeço ao Dadinho, que me colocou na equipe adulta do basquete. Essas coisas fazem parte do esporte, espero que a equipe do Minas continue crescendo e eu vou continuar na busca por outros desafios”, afirma.

O Minas, agora, parte em busca de um novo nome para seu comando técnico. “Estamos analisando e procurando bons nomes no mercado. Por enquanto não temos definição, mas vamos procurar um técnico de nome no basquete e que venha para agregar ao clube”, falou Dadinho.

Anúncios

Sobre Daniel Ottoni

Desde 2011, repórter de esportes especializados do jornal O Tempo, de Belo Horizonte. Fale comigo no d.ottoni@gmail.com
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s