Times de vôlei do Minas terão que superar saídas e incertezas

denilton

Horacio Dileo já passou para a diretoria do Minas alguns nomes, mas a concorrência é grande neste momento de transição (crédito: Denilton Dias)

Depois do inesperado vice-campeonato sul-americano, o Vivo-Minas já busca virar a página e olhar adiante, mesmo com problemas aparecendo pouco tempo após a derrota para o UPCN-ARG. O central Maurício irá atuar pelo atual campeão brasileiro RJX-RJ na próxima temporada. O time da Rua da Bahia, que já acertou a renovação por mais um ano com o técnico argentino Horacio Dileo, também não terá o ponta Lucarelli, que se despediu da torcida no campeonato continental. O ponteiro é o novo reforço do Sesi-SP. “Pedi para a diretoria a manutenção do Maurício, mas o RJX veio com altos valores e não foi possível segurá-lo”, comenta Dileo, deixando claro sua concordância com a política adotada pelo clube.

“O Minas tem uma filosofia de trabalho de oferecer condições dentro do que é possível. Não damos um real a mais do que podemos e concordo muito com essa linha de raciocínio. Estamos em busca de outros jogadores, mas prefiro não falar em nomes para não atrapalhar as negociações”, destaca o treinador, que já passou para a diretoria alguns nomes que gostaria de contar na Superliga 2013/2014. “Sugeri algumas opções que me interessam, mas estes jogadores já possuem três ou quatro propostas. A diretoria está fazendo tudo que é possível para reforçar o time e confio muito no sério trabalho que eles estão fazendo. Alguns concorrentes possuem uma capacidade financeira muito maior e isso atrapalha, infelizmente”, declara Dileo.

Para ele, o time precisa, inicialmente, de mais um central e um ponta. Caso o argentino Quiroga também se despeça, será preciso encontrar um segundo ponta, com boa capacidade para passar.

A lembrança da derrota, que poderia render ao time vaga no Mundial de outubro, no Mineirinho, em Belo Horizonte, ainda está presente. “Não gostei nada da forma como terminamos a nossa temporada. O time não foi bem, não apresentou poder de reação”, lamenta o treinador.

Mesmo com mercado complicado, técnico acredita em time competitivo

Com as saídas certas de Lucarelli e Maurício, o Minas já começa a buscar opções, mas com as dificuldades que se apresentam. “O mercado não está fácil, mas confio na formação de um bom time”, projeta Dileo, se inspirando no começo de seu trabalho no clube.

“Quando cheguei, tive a impressão de que muitos não confiavam tanto em nosso time para ser um dos semifinalistas. Aos poucos, o time foi se acertando, se entrosando e ganhando espaço, incomodando os concorrentes. Acredito que isso é sim possível para o próximo ano, mas precisamos ter calma para encontrar peças
de qualidade para essa reposição”, comenta.

A presença de equipes sul-americanas em Belo Horizonte durante o torneio continental poderá render o interesse em alguns jogadores de outros países. No entanto, Dileo não viu muito potencial nos adversários do torneio. “Gosto muito do vôlei de alguns jogadores como o ponta Samica, do Buenos Aires Unidos e do Olteanu, ponta romeno no UPCN. Mas eles não possuem o perfil que precisamos e também já têm contrato com suas equipes. Tirando estes, não vi muita coisa que pudesse despertar meu interesse para compor o elenco do meu time”, admite Dileo, que partiu ontem mesmo para Buenos Aires, onde ficará de férias ao lado da família. O elenco minastenista retorna aos treinamentos no dia 8 de julho.

 

Time feminino também passará por mudanças

A equipe feminina do Minas Tênis Clube sofrerá mais do que o masculino na montagem de seu elenco para a próxima temporada. Depois da demissão do técnico Jarbas Soares, algumas jogadores já acertaram a transferência para outras equipes. A central Bárbara foi logo anunciada pelo Sesi-SP ao final da Superliga 2012/2013.

Agora foi a vez da levantadora Claudinha confirmar sua ida para o Vôlei Amil-SP, do técnico da seleção brasileira José Roberto Guimarães.

“Minhas expectativas são as melhores. Estou cada vez mais motivada e feliz por fazer parte desse projeto, no qual, desde já, vamos buscar nossos objetivos juntos”, declarou Claudinha, que estará ao lado do único brasileiro tricampeão olímpico.

“Agradeço desde já ao Zé Roberto e ao Vôlei Amil por estarem acreditando no meu trabalho. E a minha forma de retribuir é mostrando um trabalho forte e com muitas conquistas. Conheço o Zé Roberto desde quando cheguei à Seleção de Novos, em 2010. Sempre fico muito atenta ao que ele me fala, e é muita coisa boa. E sempre tento fazer tudo o que me passa, todas as informações, e colocá-las em prática rápido””, acrescentou.

O fato de ter reais chances de disputar um título dentro de uma equipe mais qualificada foi fundamental para a mudança da jogadora, que estará mais perto dos pais, que residem em Mogi-Mirim.

Também estarei ao lado de jogadoras experientes e contando toda a estrutura que o Vôlei Amil proporciona para que eu possa mostrar meu trabalho. Além de tudo isso, farei parte de uma equipe mais competitiva e poderei lutar por títulos”, explica.

O comando da equipe pode ficar com o ex-assistente de Soares, Marco Antônio Queiroga, que também ocupa a função de assistente de Luizomar de Moura na seleção feminina juvenil. O Minas está confirmado na Superliga, mesmo com as indefinições de patrocínio e elenco. Há uma boa chance de jogadoras com idade juvenis serem bastante aproveitadas no próximo ano.

zdl

O fato do Amil chegar forte na disputa pelo título foi um dos motivos que atraiu Claudinha para a equipe campineira (crédito: ZDL Comunicação)

Início não foi fácil para a atleta

Claudinha chegou ao Minas em 2010, depois de uma boa temporada pelo Banana Boat-Praia Clube, de Uberlândia. Mas antes de vestir a camisa do time do Triângulo, a jogadora teve que superar dificuldades e incertezas.

“A transição do juvenil para o adulto foi muito difícil na minha carreira, pois achei que não teria espaço para mim. Optei por sair de São Caetano, minha cidade natal, onde eu seria a terceira levantadora. Queria buscar meu espaço”, destaca, lembrando da decisão que tomou em seguida.

“Disputei o Campeonato Paulista pelo São José dos Campos. Foi bem difícil, a gente só perdia e eu até engordei. O clima era muito tenso, porque também disputamos a Liga Nacional para uma vaga na Superliga”, relata.

Quando tudo parecia difícil, a tão desejada oportunidade apareceu. Aí entrou a qualidade e a determinação de Claudinha. “Na Liga, perdemos para o Praia Clube. Felizmente, nessa mesma partida o Praia me informou que se fossem para Superliga, eles me contratariam. E deu certo. Graças a Deus, de lá para cá venho evoluindo a cada temporada”, conta.

Ficha técnica
Nome: Cláudia Bueno Da Silva
Altura: 1,81m
Peso: 78kg
Nascimento: 21/09/1987
Local: São Caetano (SP)
Times em que atuou: Corinthians (2000), BCN/Osasco (2003), São Caetano (2004), São José dos Campos (2008), Praia Clube Uberlândia (2008) e Usiminas Minas
(2010).

Anúncios

Sobre Daniel Ottoni

Desde 2011, repórter de esportes especializados do jornal O Tempo, de Belo Horizonte. Fale comigo no d.ottoni@gmail.com
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s