Com basquete brasileiro em bom momento, NBB começa com grande expectativa

Leandrinho é a maior atração da quarta edição do NBB (crédito: Divulgação Gazeta do Norte)

Bola ao alto para a quarta edição do Novo Basquete Brasil (NBB) que começou no último sábado. A temporada 2011-2012 promete ser uma das mais disputadas e emocionantes da história da competição. E os motivos são vários, passando pelo bom momento do basquete nacional, que retorna às Olimpíadas depois de 16 anos, além das presenças de grandes nomes do esporte nacional, que retornam ao país como o armador Leandrinho, que aproveita o locaute da NBA para manter a forma representante o Flamengo.

Vários dos jogadores que integraram a seleção brasileira masculina que se classificou para a Olimpíada de Londres, no ano que vem, estarão em quadra, enfrentando ou estando ao lado dos companheiros de uma das maiores conquistas do basquete masculino nos últimos anos. Atletas como Alex, Nezinho, Guilherme Giovannoni (Uniceub/BRB/Brasília), Caio Torres, Marcelo Machado (Flamengo), Marquinhos (Sky-Pinheiros) e Vitor Benite (Winner-Limeira) integraram a equipe que ficou com a vice-colocação no Pré-Olímpico. “A empolgação e a ansiedade estão muito grandes para essa temporada que, mais uma vez, vai ser muito forte”, afirmou Giovanonni, que além de ter sido campeão pelo time da capital federal na última temporada, foi eleito MVP, sigla correspondente ao melhor jogador.

No evento de abertura, uma grande festa foi realizada com a presença de jogadores, técnicos e outros envolvidos na competição. O nível de apresentação e organização agradou e mostrou que o basquete brasileiro vive um novo e importante momento. “Em momentos como esse, você junta todo mundo e percebe que há uma união. E é muito bom começar a temporada com um evento como esse”, disse o ala Marcelinho, do Flamengo. O técnico do Minas Tênis Clube, Raul Togni, vê evolução no basquete nacional, mas acredita que ainda há um longo caminho a ser percorrido para se chegar ao patamar ideal. “Estamos caminhando para melhorar, mas o grau de estabilidade ainda não foi alcançado. Temos equipes com altos patrocínios e outros sem ou com investimentos modestos. Mas aos poucos, um novo espaço vem sendo conquistado”, comentou o treinador da jovem equipe mineira. Raul acredita em um campeonato bastante forte e com boas presenças que irão engrandecer a competição.

Para ele, o NBB conta com cinco ou seis equipes de alto nível, com chances reais de brigar pelo título. Outros estão em um nível intermediário, ao passo que algumas correm por fora, em busca de mais experiência e evolução. “Nossa equipe está em um bloco de baixo buscando chegar na parte intermediária. Alguns atletas estão vindo prestigiados da base, mas não podem se acomodar só porque não temos tanto a perder. A pressão é inerente ao esporte e temos talentos que podem surpreender”, analisou. Apesar de alguns atletas estarem começando sua participação no campeonato de forma precoce, a expectativa é pela forma como estes garotos irão reagir e encarar o mais novo e importante desafio de suas carreiras. O Unitri-Universo-Uberlândia é o outro representante mineiro. Na última semana, a equipe do Triângulo venceu o Minas na final do campeonato estadual e levou para casa o 11º título da competição.

A presença de atletas da seleção no maior campeonato do país é fator de motivação e orgulho para os amantes do basquetebol, além de despertar maior atenção por parte do público e imprensa. Outro destaques estarão dentro das quatro linhas. O armador Leandrinho, que joga na NBA pelo Toronto Raptor é uma das grandes atrações. Apesar de não ter integrado a seleção brasileira no Pré-Olímpico, ele garante estar motivado para atuar pelo Flamengo no período de locaute da competição, onde donos de equipes e atletas ainda não chegaram a um consenso sobre valores de salários e premiações. Enquanto perdurar o impasse, Leandrinho é jogador da equipe carioca. “Está sendo um prazer voltar a jogar no Brasil. O Brasil é a minha casa, o lugar onde eu nasci e tenho o maior prazer em jogar aqui. O campeonato melhorou bastante nos últimos anos”, aponta o armador.

Além dele, outros jogadores importantes, com passagens pela seleção, integram elencos do NBB. O veterano ala Rogério, que já integrou integrou o elenco brasileiro em sua última participação brasileira em Olimpíadas, em Atlantas 1996, sai de Franca e vai para Limeira. Quem permanece em Franca é o armador Helinho, que terá a companhia do pivô Babby, ex-Flamengo e Toronto Raptors (NBA). A equipe paulista, que já figurou entre as finais por anos seguidos, hoje vive um hiato de 12 anos sem conquistar o campeonato. No ano passado, ficou com o vice.

O pivô Murilo, que representou o país no último Pan, atuará pelo time de São José dos Campos. Jogadores de destaque não faltam. Além do brasileiros, vários norte-americanos integram o número recorde de 16 equipes. Destaque para os alas Shamell, de Pinheiros, atual campeão paulista, para Robert Day, de Uberlândia e para David Jackson, do Flamengo. O nível da competição será alto e muitas disputas são aguardas na competição que promete ser bastante equilibrada.

Os destaques também aparecem fora de quadra. Os treinadores José Alves Neto e Demétrius foram assistentes de Rubén Magnano no Pré-Olímpico e estarão a frente das equipes de Joinville e Limeira. O ex-jogador da seleção Guerrinha será o treinador de Bauru. O incansável Hélio Rubens segue no comando de Franca.

Depois da confirmação da vaga em Londres, o basquete masculino brasileiro ganhou credibilidade. Mostrou que pode encarar de frente potências do esporte, como a Argentina, que foi derrotada em casa pelos nossos representantes durante o Pré-olímpico. A organização e promoção do basquete nacional vem crescendo bastante e parece atingir seu ápice nesta temporada. Eu percebo que há muito entusiasmo. Eu vejo isso em todos os envolvidos, que estão se preparando e os clubes, que estão investindo. E esse é o nosso trabalho, ajudar os clubes a se organizar, trabalhando profissionalmente, para crescer cada vez mais”, declarou o presidente da Liga Nacional de Basquete (NBB), que organiza a competição. Uma das baixas aconteceu nos últimos dias quando o Vitória anunciou sua desistência da competição depois do recuo do seu principal investidor.

Prova de que mais investimentos estão aparecendo é que onze das 15 equipes são patrocinadas e recebem o apoio de empresas do país, que acreditam em resultados favoráveis e em maior divulgação das suas marcas por meio do basquete.As estreias ficam por conta da dupla Liga Sorocabana de Basquete e Tijuca Tênis Clube. “As equipes precisam atingir um maior nível de profissionalização. Isso ajudaria muito para o desenvolvimento do esporte. um número maior e mais equilibrado de investimentos também ajudariam para que o basquete fosse o único foco, sem a necessidade de outras atividade para nos mantermos”, indica Raul.

Motivos não faltam para acreditar que teremos um campeonato forte, disputado e bem organizado. Esta é a expectativa de quem crê que o basquete brasileiro está em plena ascensão. A confirmação pode vir por meio de um campeonato recheado de estrelas de alto nível, dentro e fora da quadra.

MINAS GERAIS 

Duas equipes estarão representando Minas Gerais no NBB. Minas Tênis Clube e Unitri-Universo-Uberlândia esperam fazer um bom papel na competição, mesmo não figurando entre os grandes favoritos. Enquanto a equipe de Belo Horizonte é formada por jovens valores, a equipe de Uberlândia, atual bicampeã estadual possui jogadores mais experientes em seu elenco. O armador Valtinho é um dos destaques da equipe.

Do lado do Minas, o argentino Luciano Gonzales, além do ala Bruno Erigoyen e dos pivôs Cristiano Felício e Guilherme Hubner são algumas das referências. O quarteto participou dos jogos Pan-Americanos e garante que a experiência contou bastante para o crescimento pessoal e profissional. Além deles, o armador Cauê Borges e o ala/pivô Rodrigo são outras peças quem fizeram um bom estadual e podem ajudar bastante na competição nacional. O armador Mark Borders é o representante gringo da equipe minastenista.

Anúncios

Sobre Daniel Ottoni

Desde 2011, repórter de esportes especializados do jornal O Tempo, de Belo Horizonte. Fale comigo no d.ottoni@gmail.com
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s