Paixão pelo motocross no Enduro da Independência + homenagem a Swian Zanoni

Piloto brinca com pessoas de comunidade por onde passou a prova (crédito: Léo Tavares - Corrosivo Filmes)

Há duas semanas, acompanhei de perto mais uma edição do Enduro da Independência. Trilheiros de todo o Brasil esperam a data, todos os anos, para participar do tradicional evento que, neste ano, chegou à sua 29ª edição. Sabará, Ouro Preto e Mariana foram as cidades contempladas da edição deste ano. O Enduro da Independência pode ser considerado itinerante. Já passou por Rio de Janeiro, Parati, Pouso Alegria e muitas outras cidades.

Pilotos profissionais e anônimos fazem parte da competição. O que mais vale, na verdade, é a interação entre todos, que se respeitam (e se divertem) muito. Cada um está ali mais para o outro do que para si. Fazer parte de uma grande comemoração sobre uma das grandes paixões de suas vidas é motivo para muita festa. Ninguém está lá para vencer os adversários mas sim para ser mais um neste universo de quem respira motocross.

Grupos de vários lugares do Brasil se reúnem e partem para Minas Gerais, que possui um terreno perfeito para as provas. Cascalho, pedra, barro, água e montanhas a se perder de vista, que só atrapalham quando desconcentram.

Neste ano, foram 400 pilotos de 14 estados. Fiquei surpreso ao ver como todos se conhecem há muitos anos e levam aquilo no sangue. A paixão passa de pai para filho e contagia a todos. Chegar ao fim de uma desgastante prova de 600km é uma vitória enorme.

Acompanhados pela equipe de apoio, comemoram muito a chegada e agradecem aos merecedores. “Deu até pra sentir falta da minha esposa”, brincou um piloto de Tocantins. Para a organização, o mais importante é todos chegarem seguros, sem imprevistos mais graves.

A poeira atrapalhou bastante os pilotos nos quatro dias de competição. Para participar, é necessária uma preparação com boa antecedência. O desgaste é constante.

Mário Vignate foi o grande vencedor. Dário Júlio ficou em segundo, Felipe Zanol em terceiro.

Swian Zanoni

Nome conhecido e admirado por todo trilheiro, Swian Zanoni deixará uma lacuna no motocross nacional. O piloto sofreu um acidente em prova perto de sua cidade natal (Divino, MG) e não resistiu. Participava do Campeonato Mundial e tinha promissora carreira pela frente. A tristeza de muitos é demonstrada de diversas formas. Pelas manifestações, o nome do cara é muito maior do que eu pensava. Que ele fique com Deus e esteja em um bom lugar.

Swian Zanoni deixou sua marca no motocross nacional. Mas muito mais estava por vir. (crédito: Luiz Pires - VIPCOMM)

Anúncios

Sobre Daniel Ottoni

Desde 2011, repórter de esportes especializados do jornal O Tempo, de Belo Horizonte. Fale comigo no d.ottoni@gmail.com
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Paixão pelo motocross no Enduro da Independência + homenagem a Swian Zanoni

  1. Lobinha disse:

    Saudades do Campeão….Enquanto ele acelera agora no céu nós aceleramos aqui na terra…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s