O Rei de Roma volta às suas raízes. Só isso não basta.

A identificação de Falcão com o Inter pode fazer uma história ainda mais bonita.

Falcão retorna à Porto Alegre para comandar o Internacional. Depois de vários anos, comentando (e bem) pela Rede Globo, ele recebe o convite para reviver os tempos de treinador. Na sua antiga passagem, o melhor momento foi pela seleção brasileira. Mas pouco fez, não convenceu.

A aceitação da torcida é de quase 100%. Ídolo eterno do clube, ele fez parte do maior time da história colorada, um período de títulos e glórias no desporto nacional.

Falcão se comunica bem, é direto, além de ter simpatia e carisma. Conhece a realidade do futebol há muitos anos, mas há outros não participa ativamente. A dúvida para seu trabalho fica aí.

Falcão chega em um momento onde o Internacional atingiu projeção internacional e possui um time com ótimas peças, prontas para serem moldadas. O antigo ‘Rei de Roma’ tem sua majestade garantida, mas se não fizer por onde, de nada adiantará seu reino.

Seus súditos podem virar a plebe enlouquecida que pede pela queda do comandante. Resultados e boas atuações são necessários, quase obrigatórios.

Uma aposta arriscada da diretoria, mas que pode dar certo, especialmente pela identificação. Seria mais uma bela história na história do Inter.

Anúncios

Sobre Daniel Ottoni

Desde 2011, repórter de esportes especializados do jornal O Tempo, de Belo Horizonte. Fale comigo no d.ottoni@gmail.com
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s